Edição JUL / DEZ - 2017

    

      A ideia inicial na qual se ancorou a criação deste dossiê sobre Literatura e Ensino decorreu de algumas questões que, juntas, oferecem um breve painel sobre as dificuldades para o exercício da prática de leitura no Brasil. Como pode ser percebido nos artigos que compõem este número da revista, a ausência de bibliotecas nas escolas, o limitado hábito de leitura dos pais, o surgimento das novas tecnologias, notadamente, a internet, além do uso de resumos e excertos das obras pelos alunos são fatores que concorrem para a permanência desse déficit educacional e social. Em liame com essas questões existe, também, um reconhecido despreparo na formação docente, acompanhado por baixos salários e falta de afinidade dos professores com o texto literário, motivações que ensejaram a elaboração dos trabalhos ora publicados.

     O reconhecimento do limitado acesso e interesse dos alunos às obras literárias foi determinante para que trouxéssemos a lume uma reflexão sobre a importância do ato de ler. Neste sentido, a existência deste dossiê alude a dois propósitos: primeiro, endossar o viés ético e estético portados pela literatura, acolhendo-a como uma via transformadora das vivências experienciadas pelo homem na formação de sua subjetividade. E, segundo, ele visa a divulgar as atividades realizadas na disciplina Prática Pedagógica no Ensino de Literatura Portuguesa, da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Um dos requisitos exigidos para fins de avaliação dos alunos foi a elaboração de um Projeto de Intervenção que estimulasse o letramento literário. Eles deveriam contemplar uma prática de leitura que destacasse a importância do
planejamento das aulas, inovadoras estratégias de ensino, além da elaboração das
sequências didáticas e modalidades avaliativas. É atenta a esses ditames que Eduarda Vasconcelos propõe no artigo Leitura, sonho e imaginação: o universo das fábulas e o letramento literário, o aprimoramento da oralidade, da capacidade de realização de leitura e da expansão da competência escrita dos alunos a partir das fábulas. Em outro sentido, o enfoque no texto literário, atendo-se às suas especificidades formais, temáticas e estruturais é o leitmotiv de A busca pela beleza eterna: notas narcisistas em O retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde, de Amanda Bioni. No artigo, a aluna desenvolve, em consonância com a perspectiva do letramento literário, uma intervenção dialógica, em cujos fundamentos despontam a mitologia e a psicanálise como aspectos norteadores da leitura do romance inglês. Abordar o texto, visando a construir práticas que propiciem o ato de leitura em sala de aula, é o enfoque dado por Nathalia Costa no artigo A crônica: uma bússola pela renovação literária na escola. Adotando como corpus crônicas de Carlos Drummond de Andrade, com esse gênero matizado pelas minudências do cotidiano, ela busca aproximar o aluno do texto literário e capacitá-lo para entender como a literatura dialoga com o campo histórico e social.

    A diversidade de temáticas propostas é ampliada com o artigo Poesia marginal: leitura, produção textual e contexto histórico, de Wedja Lima. Pleiteando a inclusão da poesia marginal no currículo regular do Ensino Médio, ela acolhe a antologia organizada por Heloísa Holanda e Carlos Pereira, intitulada Poesia jovem (anos 70), com a qual busca suscitar o letramento literário com a leitura, análise e produção poética. Reiterando o incentivo ao potencial crítico-criativo dos alunos, Amanda Mirella apresenta no artigo (Re)contos: Chapeuzinho Vermelho e a influência dos contos de fadas no imaginário infantil a possibilidade de reescrever significados por meio de mecanismos textuais. A desconstrução e reconstrução do conto de fadas que intitula o artigo é realizada a partir de releituras das versões de Charles Perrault, dos irmãos Grimm e de Robert Darnton.

   Os artigos que encerram o dossiê são de Paula Lapenda e Ivson Bruno da Silva. Intitulado Alteridade e construção da identidade na infância: o protagonismo de personagens negros na literatura, Paula Lapenda apresenta um projeto cujo tour de force se centra na representação dos negros na literatura infantil. Norteada pela perspectiva dialética, a hierarquização social e a formação identitária são analisados a partir dos conceitos de identidade, diversidade e pluralidade cultural. Em campo temático análogo se filia o artigo de Ivson da Silva, Literatura fantástica, história e ensino: assombrações pernambucanas na sala de aula. Ao propor uma intervenção escolar com relatos de Gilberto Freyre e Jayme Griz, a apreciação do gênero fantásticoé realizada sob um ângulo intertextual e interdisciplinar, adotanto a alegoria e a história como lastros interpretativos.

Este editorial é concluído com uma problematização sobre a presença / ausência do ato de leitura, tema do artigo A prática de leitura literária: breves apontamentos, de João Batista Pereira. Nele são amalgamados dilemas e inquietações que permeiam todos os projetos, revelando a improvável realização de todo o potencial humano se o sujeito não se deixar envolver nas múltiplas dimensões oferecidas pela literatura. E, por fim, faz-se necessário agradecer a Ályda Marinho que, com seus traços, linhas, cores e afeto, criou a arte que serve de porta de entrada a este dossiê.

Boa leitura!


João Batista Pereira
Editor do Dossiê ‘Literatura e Ensino’

OBS: Os artigos abaixo estão em formato .PDF e só poderão ser visualizados com o aplicativo visualizador de PDF; caso não o tenha instalado em seu computador, você poderá baixá-lo, gratuitamente, clicando aqui

Para salvar os artigos em seu computador, clique, com o botão direito de seu mouse, sobre o link do artigo desejado e, em seguida, clique em SALVAR LINK COMO.

 

Artigos:

LEITURA, SONHO E IMAGINAÇÃO: O UNIVERSO DAS FÁBULAS E O LETRAMENTO LITERÁRIO
Autora:
Eduarda Ferreira de Vasconcelos¹


A BUSCA PELA BELEZA ETERNA: NOTAS NARCISISTAS EM O RETRATO DE DORIAN GRAY, DE OSCAR WILDE
Autora: Amanda Moury Fernandes Bioni¹


A CRÔNICA: UMA BÚSSOLA PELA RENOVAÇÃO LITERÁRIA NA ESCOLA
Autora: Nathália Regina dos Santos Costa¹


POESIA MARGINAL: LEITURA, PRODUÇÃO TEXTUAL E CONTEXTO HISTÓRICO
Autora:
Wedja Maria Jesus de Lima¹        




 (RE) CONTOS: CHAPEUZINHO VERMELHO E A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NO IMAGINÁRIO INFANTIL
Autora: 
Amanda Mirella Simplício da Silva¹



ALTERIDADE E CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NA INFÂNCIA: O PROTAGONISMO DE PERSONAGENS NEGROS NA LITERATURA
Autora: Paula Lapenda Labanca da Silva¹



LITERATURA FANTÁSTICA, HISTÓRIA E ENSINO: ASSOMBRAÇÕES PERNAMBUCANAS NA SALA DE AULA
Autor: Ivson Bruno da Silva¹


A PRÁTICA DA LEITURA LITERÁRIA: BREVES APONTAMENTOS
Autor: João Batista Pereira¹