Edição JAN/JUN - 2008

       Convencidas de que um novo modo de construção do conhecimento tende a realizar-se em ambientes de contínuas mediações entre interesses diversos, buscamos – professoras Mari Noeli Kiehl Iapechino e Valéria Severina Gomes, do Departamento de Letras e Ciências Humanas (DLCH) da Universidade Federal Rural de Pernambuco – criar ambientes, ainda que virtuais ou marcados por distanciamentos geográficos, com o Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Linguagem (NIEL) e com a Revista Encontros de Vista, de diálogo interdisciplinar e de parcerias em estudos da linguagem e de suas interfaces.

       Com esse propósito, contatamos professores-pesquisadores de todas as regiões do Brasil e de países, como: Argentina, Alemanha, Áustria, Inglaterra, México etc., para integrarem o NIEL e colaborarem, com suas pesquisas, suas escritas ou mesmo, na condição de conselheiros editoriais, com seus julgamentos sobre produções outras, para a manutenção de um espaço virtual de divulgação e de referência de estudos da linguagem: a Encontros de Vista.

       Passados alguns meses (mais do que gostaríamos de ter aguardado), com alegria, apresentamos o número 01 da Encontros de Vista, revista do NIEL, correspondente ao primeiro semestre de 2008, com nove artigos selecionados, dentre aqueles que foram encaminhados ao Conselho Editorial da revista, que inaugurarão esse espaço e que viabilizarão objetivos, tais como:

        Com este número da Encontros de Vista, colaboraram Jeanne de Albuquerque de Mello (professora da rede pública de ensino / PE); Mari Noeli Kiehl Iapechino (UFRPE); Paulo Sérgio Nolasco dos Santos (UFGD); Renata Mancini (UFF); Renato Campos Pordeus (PG – UFPE); Tânia Lima (escritora); Tarcísia Travassos (PG – UFPE); Thiago Nunes Soares (licenciando em História da UFRPE); Valéria Severina Gomes (UFRPE); e Washington Luiz Martins da Silva (UFPE). Poderíamos, grosso modo, classificar os artigos desse número 01 da revista em 05 grupos: análise do discurso; análise semiótica; estudos literários; linguagem digital; e tradições discursivas.

       Jeanne de Albuquerque de Mello propôs, em seu artigo, uma reflexão sobre as contribuições dos professores para o ensino da língua portuguesa, questionando a prática do docente, em seu papel de agente transformador da sociedade e de construtor de um sujeito (o aluno) de fato nela inserido. Mari Noeli K. Iapechino e Valéria Severina Gomes trabalharam conjuntamente na organização de dois artigos – Concepções de texto da tradição retórica à tradição discursiva e Texto/discurso fundador versus texto/discurso modificado: a representação da identidade pernambucana na linguagem publicitária –, sendo que, no primeiro, o objetivo foi o de apresentar aspectos teóricos concernentes à Filologia Pragmática alemã, a fim de contribuir com reflexões atuais sobre as concepções que alicerçam os estudos da língua e dos textos; já, no segundo, buscou-se discutir as condições de produção da identidade recifense pelo viés da análise do verbal e do não-verbal em discursos publicitários. No artigo de Paulo S. Nolasco dos Santos, resultante de trabalho desenvolvido no GT de Literatura Comparada da ANPOLL, fez-se uma revisão do regionalismo como categoria trans-histórica, a fim de se explicar os atuais transladamentos culturais e a transculturação narrativa. Para Renata Mancini, com a análise da canção “Michelangelo Antonioni”, de Caetano Veloso, a preocupação foi a de explicitar, com o aparato teórico da semiótica francesa, os mecanismos textuais, notadamente da ausência e do silêncio, empregados pelo compositor em sua homenagem ao diretor de cinema italiano. Tânia Lima, por sua vez, em diálogo “entre o rio e o mangue” ou “o ludo e o lodo”, trata da (trans)figuração da poética cabralina, do jogo de palavras e de sentidos fundados em versos que, segundo a autora, movem-se em um espaço intersticial. Tarcísia Travassos, analisando a primeira página da Folha de São Paulo que divulga a morte de Tancredo Neves, investigou, com o apoio teórico de Silva (1985), Bazerman (2005, 2006), Jewitt e Kress (2003), Dionísio (2005), os aspectos visuais que compuseram a página do jornal e a produção da manchete principal. Thiago Nunes Soares, concebendo as pichações como fontes documentais representativas dos sentidos da cidade, do cotidiano e do imaginário dos sujeitos, analisou-as sob a óptica sócio-histórica-discursiva, considerando os espaços públicos de inscrição dessas escritas e um recorte temporal (1979 a 1985) marcado pela Ditadura Civil-Militar no Brasil. Por fim, Washington Luiz M. da Silva e Renato Campos Pordeus analisaram a crise da sociedade tecnológica a partir de elementos constitutivos da educação e da linguagem digital, com o intuito de desvelar o hiato existente entre elas. Os autores procuraram, também, a partir de uma discussão sobre a internet como ferramenta de consolidação de uma linguagem inclusiva, debater sobre sua contribuição (da linguagem digital) para minimizar a crise do trabalho no modelo socioeconômico capitalista.

        Preparamo-nos, agora, para o segundo número de nossa revista e convidamos a todos que por ela se interessaram, membros do NIEL ou não, a enviarem suas escritas (artigos, resenhas, ensaios, entrevistas...), colocando-as sob o crivo do Conselho Editorial da Encontros de Vista e, com isso, cooperando para sua efetivação como espaço de abertura e de diálogo, no qual o tamanho das coisas corresponda, conforme sugeriu o poeta Manoel de Barros, à medida da intimidade que com elas temos.

 

OBS: Os artigos abaixo estão em formato .PDF e só poderão ser visualizados com o aplicativo Adobe Acrobat Reader; caso não o tenha instalado em seu computador, você poderá baixá-lo, gratuitamente, clicando aqui

Para salvar os artigos em seu computador, clique, com o botão direito de seu mouse, sobre o link do artigo desejado e, em seguida, clique em SALVAR LINK COMO

INTERFERÊNCIAS DA ORALIDADE NA PRODUÇÃO ESCRITA
Autora:
Jeanne de Albuquerque de Mello

TEXTO/DISCURSO FUNDADOR VERSUS TEXTO/DISCURSO MODIFICADO:
A REPRESENTAÇÃO DA IDENTIDADE PERNAMBUCANA NA LINGUAGEM PUBLICITÁRIA

Autoras: Mari Noeli K. Iapechino
e Valéria Severina Gomes

CONCEPÇÕES DE TEXTO DA TRADIÇÃO RETÓRICA À TRADIÇÃO DISCURSIVA
Autoras: Valéria Severina Gomes e Mari Noeli Kiehl Iapechino

NO PANTANAL DA NHECOLÂNDIA: OUTRAS CONVERSAS
Autor: Paulo S. Nolasco dos Santos

AUSÊNCIA EM “MICHELANGELO ANTONIONI”
Autor: Renata Mancini

EDUCAÇÃO PELOS MANGUES
Autora: Tânia Lima

A IMAGEM DE TANCREDO NEVES NO JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO
Autora: Tarcísia Travassos

VIGIAR E PUNIR: AS PICHAÇÕES NA LUTA PELO CREPÚSCULO DO ESTADO
DE EXCEÇÃO NO BRASIL

Autor: Thiago Nunes Soares

A INTERNET NA EDUCAÇÃO E O DILEMA DE UMA NOVA LINGUAGEM
NA CONSTRUÇÃO DO SUJEITO

Autores: Washington Luiz M. da Silva e Renato Campos Pordeus